DIREITO SISTÊMICO E AS CONSTELAÇÕES FAMILIARES NO DIREITO DE FAMÍLIA

Hugo Rios Bretas, Maria Simone Liberato Araújo

Resumo


O estudo sobre o direito sistêmico, é algo que tem ganhado relevância nos últimos anos, diante da necessidade de resoluções de conflitos mais eficientes, e da infinidade de processos em andamento no poder judiciário, esse modelo de resolução de conflito visa não apenas resolver o conflito, mas também fazer as partes entenderem como chegaram a essa situação, ou seja, olhar a situação de uma forma ampla, com esse entendimento, não apenas fica mais fácil para as partes chegarem a um acordo, como há maior possibilidade desse acordo ser efetivo, principalmente quando se trata de conflitos no âmbito familiar, trata-se de um direito mais humanizado e de uma forma de ver as relações, como algo dinâmico e não estático. Com a modernização dos processos e das decisões, é necessário repensar meios de solução que garantam melhores resultados. O objetivo desta pesquisa foi trazer esse novo modelo de resolução de conflitos, mostrar sua efetividade e de onde surgiu e a necessidade de desenvolvimento deste, entre outros que sejam adequados a cada caso, o diferencial será ter o olhar sistêmico, e é a partir dos princípios norteadores do direito de família que será abordado a fenomenologia das constelações familiares e o direito sistêmico.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, André Gomma de (Org.). Manual de Mediação Judicial, 6ª Edição, Brasília/DF:CNJ, 2016, p. 37.

BARBOSA, Ruth, et al. Conversando sobre constelação familiar, ed. Tirant, São Paulo, 2019, p. 23, apud, Passagem de uma constelação familiar realizada pela 1° Vara de Família da Comarca do Estado do Rio de Janeiro.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988.

BRETAS, Hugo Rios, MACHADO, Ana Maria Alves, et al, Direito de Famílias e Sucessões: Reflexões, críticas e desafios, Belo Horizonte, Editora Conhecimento, 2020.

DIAS, Luciana de Fátima Teixeira, et al, Direito de Famílias e Sucessões: Reflexões, críticas e desafios, Belo Horizonte, Editora Conhecimento, 2020.p. 268.

DIAS, Maria Berenice, Manual de Direito das Famílias, São Paulo, Editora Revista dos Tribunais, 2016, p.79.

DURKHEIM, Émile, apud, DIAS, Luciana de Fátima Teixeira, et al, Direito de Famílias e Sucessões: Reflexões, críticas e desafios, Belo Horizonte, Editora Conhecimento, 2020.p. 274

GUTIÉRREZ, Daniel Mota; NÓBREGA, Adriano César Oliveira. A confidencialidade nas sessões de conciliação: o aparente conflito entre publicidade e sigilo processual. Revista Eletrônica de Direito do Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte, n.37, p.13-24, jan./abr. 2019. Disponível em: Acesso em: 14 Nov. 2021.

HELLINGER, Bert e HOVEL, Gabriele Ten. Constelações Familiares- O reconhecimento das ordens do amor-2010.

https://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=457637&ori=1 acesso em 30 out. 2021.

https://www.cnj.jus.br/constelacao-familiar-solucao-para-violencia-domestica-no-rio-grande-do-sul/ acesso em 30 out. 2021.

https://www.cnj.jus.br/constelacao-pacifica-conflitos-de-familia-no-judiciario/acesso em 30 out. 2021.

https://www.cnj.jus.br/constelacoes-familiares-chegam-as-varas-de-familia-de-porto-velho-ro/ acesso em 30 out. 2021.

https://www.cnj.jus.br/juiz-consegue-100-de-acordos-usando-tecnica-alema-antes-das-sessoes-de-conciliacao/ acesso em 30 out. 2021.

https://www.cnj.jus.br/juiz-consegue-100-de-acordos-usando-tecnica-alema-antes-das-sessoes-de-conciliacao/ acesso em 30 out. 2021.

https://www.cnj.jus.br/juiz-consegue-100-de-acordos-usando-tecnica-alema-antes-das-sessoes-de-conciliacao/ acesso em 30 out. 2021.

https://www.cnj.jus.br/juiz-consegue-100-de-acordos-usando-tecnica-alema-antes-das-sessoes-de-conciliacao/ acesso em 30 out. 2021.

https://www.cnj.jus.br/juizes-empregam-constelacao-familiar-para-tratar-vicios-e-recuperar-presos/ acesso em 30 out. 2021.

https://www.cnj.jus.br/sinta-a-emocao-de-uma-constelacao-familiar-em-unidade-socioeducativa/ acesso em 30 out. 2021.

MATTEU, Douglas, at. Al. O Futuro Humanizado do Direito, São Paulo, Literare Books, 2020.

NEVES, Daniel Amorim Assunpção – Manual de direito processual civil- volume único, 12. Ed. – Salvador: Ed. Juspodvim, 2020.

NOGUEIRA, Bernardo, STIRGET, Ludmila, et al, No meio do caminho havia uma escuta: diálogo junto da mediação, Belo Horizonte, Centro Universitário Newton Paiva, 2016.

NOGUEIRA, Bernardo, STIRGET, Ludmila, et al, No meio do caminho havia uma escuta: diálogo junto da mediação, Belo Horizonte, Centro Universitário Newton Paiva, 2016.

STORCH, Sami, MIGLIARI, Daniela, A origem do Direito Sistêmico.1° ed. Ed. Tagore Brasília, 2020.

TARTUCE, Flávio, Direito Civil, 14° ed., Rio de Janeiro, Forence, 2019.

VASCONCELOS, Carlos Eduardo, Mediação de conflitos e práticas restaurativas, Método, São Paulo, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Endereço: Avenida Prudente de Moraes, 815

Bairro: Zona Sete

CEP: 87020-010

Maringá - Paraná - Brasil